A Oração dos Fiéis

Texto extraído da página do Facebook “Vida Celebrada – Formação Litúrgico Catequética”; publicado em 25 de janeiro 21:11h.

1. O QUE É UMA ORAÇÃO DOS FIÉIS?

A ORAÇÃO DOS FIÉIS ou Oração Universal é uma resposta imediata à Palavra de Deus proclamada na celebração. Essa resposta é feita mediante a oração de LOUVOR e de PEDIDO. Tanto uma dimensão como a outra deve ajudar a Assembléia reunida a fazer da Palavra a prece comum do povo de Deus reunido. Este, por sua vez, dará sua resposta explícita com uma invocação comum (por exemplo: Senhor, atendei a nossa prece), ou rezando em silêncio.

É o momento em que os fiéis exercem sua missão sacerdotal, elevando a Deus seus pedidos pela salvação de todos.

2. PARA QUEM REZAR?

A Instrução Geral do Missal Romano diz: “Convém que, normalmente, se faça esta oração nas missas com o povo, de tal sorte que se reze pela santa Igreja, pelos governantes, pelos que sofrem necessidades, por todos os seres humanos e pela salvação do mundo” (IGMR, 69). E as Instruções continuam: “Normalmente serão estas as séries de intenções:

a) pelas necessidades da Igreja;

b) pelos poderes públicos e pela salvação de todo mundo;

c) pelos que sofrem qualquer dificuldade;

d) pela comunidade local.

No entanto, em alguma celebração especial, tal como confirmação, matrimônio, exéquias, as intenções podem referir-se mais estritamente àquelas circunstâncias” (IGMR, 70).

3. COMO ELABORAR E PROCLAMAR A ORAÇÃO DOS FIÉIS PARA A MISSA PAROQUIAL?

1°) Como tudo na Liturgia católica, também a Oração dos Fiéis deve buscar iluminação na PALAVRA DE DEUS, especialmente aquela que é anunciada no rito celebrativo. É ela a fonte inspiradora de oração. Por isso, quem prepara as preces deve – como qualquer outro (a) ministro (a) que atuará na celebração da Missa – LER, ESTUDAR, REFLETIR E REZAR os textos bíblicos do dia, especialmente o Evangelho. A partir daí, fazer uma bela ligação entre a Palavra e a vida, tendo sempre em vista as necessidades mais prementes do Povo de Deus e de toda a humanidade, sem esquecer os problemas enfrentados pelo Brasil, nossa (arqui) diocese, paróquia, comunidade, etc

2°) A prece dos fiéis deve ser OBJETIVA, CONCISA E PRECISA. Nada de explicitações ou explicações. Nada de rodeios ou discursos. Em poucas palavras, o (a) precista eleva a Deus, por meio de Jesus Cristo, no Espírito que ora com a Assembléia reunida, os clamores, as necessidades, os louvores e os agradecimentos de toda Igreja.

3°) No término de cada prece, o (a) precista diz: REZEMOS AO SENHOR, mesmo que a assembléia cante a resposta. Nada de dizer “cantemos”.

4°) Quando se reza pela Igreja local, é bom estar atento aos grandes eventos que ocorrem na Arquidiocese e rezar por eles.

5°) Estar atento (a) aos problemas mundiais, nacionais e regionais porque também eles são motivações de nossas preces e devem ser trazidos em forma de oração para o clamor da assembléia, que aqui exerce sua missão de intercessora diante de Deus.

6°) A Oração dos fiéis deve nos educar na dimensão comunitária da oração, por isso evite-se intenções de caráter meramente pessoal.

7°) Também não deve prejudicar o ritmo normal da celebração, por isso evite-se um número grande de intenções. Seguindo os “EXEMPLOS DE FORMULÁRIOS PARA A ORAÇÃO DOS FIES” do Missal (Cf.págs. 1005 e ss.), limitar-nos-emos a 4 (quatro) intenções proclamadas pelo (a) precista.

– NOTA: O (A) precista subirá ao presbitério, tomará lugar no ambão, quando todos estiverem pronunciando o AMÉM da Profissão de Fé. Após a introdução do Presidente da celebração, proclamará as intenções, a viva e clara voz. Ao final, voltar-se-á ao Presidente para acompanhar a conclusão. Após o Amém da oração conclusiva, feita pelo Presidente, o (a) precista fará reverência para o altar e voltará ao seu lugar de origem.

8°) Adotamos duas modalidades para a formulação e proclamação das intenções na Oração dos fiéis. FORMULAÇÃO 1: A que normalmente fazemos. Aquela que o (a) precista formula a intenção de uma maneira corrente e continuada. Por exemplo: Pela Igreja de Deus, para que Ele a governe, proteja e sustente, rezemos ao Senhor. Ou: FORMULAÇÃO 2: É aquela em que o (a) precista faz, em primeiro lugar, o direcionamento da intenção, dá um tempinho de silêncio e, a seguir, pronuncia o restante do pedido e/ou louvor. Por exemplo: Rezemos pela Igreja de Deus (brevemente, reza-se em silêncio, mais ou menos um meio minuto): Para que o Senhor lhe dê paz e unidade. Terminada a formulação do (a) precista (porque o convite “rezemos” já foi feito no início da prece!), a Assembléia, de imediato, proclamará a resposta própria.

(NOTA: Quanto a formulação 2, podemos reservá-la para as Solenidades ou uma outra ocasião especial).

4. ALGUNS EXEMPLOS DE FORMULÁRIOS PARA A ORAÇÃO DOS FIÉIS

FÓRMULA GERAL, I

1)- Pela santa Igreja de Deus, para que ele a proteja e a sustente, rezemos ao Senhor.

2)- Por todos os povos do mundo, para que Deus os conserve em paz, rezemos ao Senhor.

3)- Por todos os que padecem dificuldades, para que Deus os conforte, rezemos ao Senhor.

4)- Por nossa comunidade e cada um de nós, para que Deus nos aceite como oferenda agradável, rezemos ao Senhor.

PARA O ADVENTO

1)- Para que visite e guarde sua Igreja, rezemos ao Senhor.

2)- Para que derrame os dons de sua graça sobre o Santo Padre, o Papa, sobre o nosso Bispo, rezemos ao Senhor.

3)- Para que, sob sua proteção, gozemos dias tranqüilos, invoquemos ao Senhor.

4)- Para que dirija, a serviço do bem comum, os corações daqueles que governam, rezemos ao Senhor.

PARA O NATAL

1)- Pela Igreja de Deus, para que acolha com fidelidade e alegria aquele que a Virgem imaculada concebeu pela palavra, rezemos ao Senhor.

2)- Pelo progresso e a paz do mundo, rezemos ao Senhor.

3)- Pelos que padecem fome, doença ou solidão, para que o mistério do Natal os conforte, rezemos ao Senhor.

4)- Pelas famílias de nossa comunidade paroquial, para que acolham Cristo no pobre, rezemos ao Senhor.

PARA A QUARESMA, I

1)- Por todo povo cristão, para que neste tempo sagrado se alimente com maior abundância de toda palavra que sai da boca de Deus, rezemos ao Senhor.

2)- Pelo mundo inteiro, para que nossos dias tornem-se realmente na tranquilidade e na paz tempo de graça e salvação, rezemos ao Senhor.

3)- Pelos pecadores e indiferentes, para que se voltem a Deus, rezemos ao Senhor.

4)- Por todos nós, para que se desperte em nossos corações a contrição dos pecados, rezemos ao Senhor.

PARA O TEMPO PASCAL

1)- Pelos nossos pastores, para que possam governar com sabedoria o rebanho que lhes confiou o Bom Pastor, rezemos ao Senhor.

2)- Pelo mundo inteiro: para que goze verdadeiramente da paz que o Cristo nos deu, rezemos ao Senhor.

3)- Por nossos irmãos e irmãs que sofrem, para que sua tristeza se transforme na alegria que ninguém pode tirar, rezemos ao Senhor.

4)- Pelos membros desta assembléia, para que testemunhemos com grande confiança a Ressurreição de Cristo, rezemos ao Senhor.

PARA O TEMPO COMUM, I

1)- Pelo Santo Padre o Papa ……, nosso Bispo …… e todo o clero, com todo povo de Deus confiado a seus cuidados, rezemos ao Senhor.

2)- Pelos governantes e seus auxiliares, que cuidem do bem comum, rezemos ao Senhor.

3)- Por todos os viajantes, pelos detentos ou prisioneiros, rezemos ao Senhor.

4)- Por esta santa assembléia, reunida com fé e devoção, no Amor e temor de Deus, rezemos ao Senhor.

É um verdadeiro desleixo com a liturgia equipes que não preparam nem as monições iniciais (caso as use) nem as preces. Em geral apenas “colam” dos jornaizinhos ou liturgia diária, sem levar em conta os aspectos da realidade diocesana, paroquial e comunitária.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s